31 de jan de 2012

Conselho Breve IV (Conselho de Café)

Escorra a bôrra que penetra a tua garganta, escorra.

Esfregue a craca que encarde a tua ressaca.

Estique a margem que entorta a tua passagem e impede o corpo de mais arrojada abordagem.

Explique a toda animosidade exposta que o caldo engrossa quando a safra torra.

Aplique a norma que lhe diz respeito à risca, como a inspiração encerra.

Estire letras naturais de boas vibrações pelo Planeta Terra.

Mas, antes que arranhe, amargue e estrague, comprometa a qualidade, entrave, amarele ou encrudeça a claridade, deixe que a bôrra escorra.




Nenhum comentário: